quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A Cruz

Do: Evangelho de São Lucas 14, 25-33
“Se alguém vem a mim, mas não me prefere a seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs, e até a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não carrega a sua cruz e não caminha após mim, não pode ser meu discípulo. »


O Evangelho de hoje leva-me a reflectir algumas questões pelo que peço o auxílio do Divino Espírito Santo para me ajudar a discernir.
Será que Jesus está sempre no centro da minha vida e que O amo acima de todas as coisas, porque Deus encarnado? Será que tenho conseguido ao longo da minha vida ser radical na minha entrega a Cristo a ponto de me deixar envolver completamente pelo Seu Amor?
A Cruz de Cristo não foi ficção. A Cruz foi uma realidade que Jesus transportou com o peso dos meus pecados e de toda a humanidade, para a Salvação de todos.
Será que aceito sem reclamar a minha cruz e a transporto seguindo Jesus, entregando-me de alma e coração no serviço, no amor e no perdão a cada irmão?
Tantas vezes que o meu egoísmo, a minha cegueira me impedem de percorrer o Caminho do Calvário.
Quantas vezes fui incapaz de me despegar das superficialidades, da inércia, de tantos preconceitos que me impedem de ver a Luz que irradia da Cruz, que liberta e salva. 
O Senhor chama-me a seguir após Ele apesar das minhas imperfeições.  Sim,  o Senhor que me ama incondicionalmente convida-me a que me desinstale para abraçar o Seu Ideal. O ideal do Seu Reino. O Ideal do Amor. 

Perdoa-me, Senhor! Eis-me aqui disponível para seguir após Ti.

Um abraço no Amor e Paz de Cristo.

http://rotasdiferentes.blogspot.com.br/