quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Minhas Lepras...Cura-as Senhor!

Evangelho de Lucas 17,11-19
Reflexão Pessoal





                              Ao meditar nas palavras proferidas por Jesus aos  dez leprosos, ao ouvir a súplica: “ Jesus, Mestre tem compaixão de nós”, senti-me profundamente tocada pela releitura que faço dessa passagem evangélica.
                               A  postura do mestre que não ultrapassa os limites da autoridade vigente ao responder – “Ide mostrai-vos ao Sacerdote” mostrou-me este lado justo de Jesus. Havia um propósito... Que tipo de Fé movia aqueles homens?
                              A fé dos que se contentam com as benesses materiais   ou aquela Fé que vai mais além , que extrapolando o factível reconhece e  agradece  a  misericórdia do Senhor!
                              Jesus me mostra que sou leprosa no corpo e também na alma quando me deixo contaminar por lepras morais    como arrogância, prepotência , orgulho, autossuficiência  e tantas mais que me impedem de ser  serva  de Deus , criatura destinada  a adorar e louvar sua onipotência .
                               Sim, eu nasci para adorar e louvar  a Deus !  Meu querer está  nele que muito me ama  de forma especial e exclusiva . Pergunto-me quem será capaz de me amar de forma tão grandiosa?
                               Quem será capaz  de sempre estar de braços abertos para me acolher e perdoar, perdoar, perdoar....
                                É tão pouco o que retribuo ... É tão equivocada  a forma como manifesto este amor que digo sentir por Êle...
                                Amar a Deus é amar ao próximo... Como  ponho em prática na minha vida  está máxima ? Como me aproximo do altar do Senhor querendo amor e perdão se meu coração está  oprimido, revoltado e  corroído pela “lepra moral”?
                                Entretanto  a misericórdia grandiosa de Deus  e minha fé me sustentam. Sei o quanto é difícil  a caminhada, mas um passo de cada vez, procurar não sofrer recaídas nos firmes propósitos de emendas,  reconhecer com humildade minhas limitações e fazer da vida uma permanente oração viva,: a prática do bem   e procurar amar como Jesus amou.
                                 É no cotidiano que vou aplainando o terreno a fim de que as pedras do caminho sejam afastadas e possa semear em solo fértil. Se  estou doente, ao meu redor outros mais do eu precisam de mim, eles se espelham em mim, eles me fortalecem porque induzem o carregamento da minha “bateria”  transmutando energia em amor incondicional
                                      É nessa trajetória   do dia-a-dia  que aprendo a não julgar, fechar os olhos do corpo e abrir os da alma, conviver com a fragilidade física ou moral do meu irmão que me ensina o caminho do real viver .
                                                 Ajuda-me Senhor a ser aquele leproso entre os dez curados  que reconhece e agradece tua imensa misericórdia. Não permitais que a ingratidão permeie a minha vida e tolha a caminhada em busca do teu Reino, que não é deste mundo!.
                                 Minhas Lepras... Cura-as Senhor!