domingo, 6 de setembro de 2015

"Abre-te"

Reflexão à luz do Evangelho de São Marcos,

 7,31-37

Senhor abre os meus ouvidos à Tua Voz!
Tu que vieste à Terra fazendo o bem mostrando-me o amor misericordioso de Deus, vem em meu auxílio para que, cada vez mais, me sinta capacitada para continuar a captar com autenticidade a Tua Palavra assimilando-a de forma pura e autêntica!
Que o meu egoísmo, arrogância e falta de humildade se transformem em actos de entrega no amor aos outros.
Tantas vezes os meus ouvidos surdos recusam o Teu chamamento que me apela a cada instante para que, sem alaridos, no silêncio de Ti em mim, vá por esse mundo fora ajudando os meus irmãos que sofrem e, neste momento, são tantos os carenciados e fragilizados! Não posso ficar indiferente perante tantas adversidades que estão dizimando o teu povo.
Abre o meu coração ao amor na cooperação e fraternidade  no acolhimento aos desesperados!
Pela acção do vosso Santo Espírito fortaleça-me, Senhor, para que definitivamente saia da minha auto-suficiência ajudando a construir um mundo mais justo onde a esperança, a justiça e a paz sejam possíveis.

 «Colocai candeeiros nas paredes das
noites. Onde houver fogueiras,
colocai mananciais. Onde se  forjarem
espadas, plantai rosais.
Transformai em jardins os campos
de batalha. Abri sulcos e semeai
amor. Plantai bandeiras de liberdade
na pátria da Pobreza.
E anunciais que está prestes a chegar a 
era do Amor, da Alegria e da Paz».

Ignacio Larrañaga