sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Senhor, fazei-me um vaso novo.


Lucas 5, 33-39
                     O que me toca nessa passagem  é que a fidelidade divina é contínua em minha vida. E que por mais dificuldades apresentadas, o meu Pai celestial sempre afasta o cálice amargo através da firmeza da palavra e do olhar redentor sobre a  minha vida, e tudo que me cerca. E tudo passa, mas só a graça de Deus me basta. Por isso, tudo que não serve para elevar o meu espírito, eu devo pedir discernimento para entender os sinais de Deus em minha vida.
                    Assim sendo , e compreendendo a vontade Dele, tudo se renovará em mim, por todos os dias para que eu não permaneça no pecado, porque só Ele cura,  só Ele salva, só Ele me liberta dos velhos retalhos, os quais não são da vontade do Senhor.
                      Renova-me Pai... eu quero ser um vaso novo hoje, e sempre!