sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Ver o outro com os olhos de Jesus



                                                        Imagem da Web

Meditação da Palavra de Jesus, segundo Lc, 6,39-42

João Paulo II, «o Senhor crucificado é um testemunho insuperável de amor paciente e mansa humildade»

O Evangelho de hoje é para mim uma grande reflexão do que penso e do que faço como cristã.

Não posso nunca julgar as ações do meu irmão, tenho que ser exemplo do bem, só assim deixarei de ser cega.

Sou igual ao meu irmão, através do Batismo, como então querer tirar a trave dos olhos dele, se em meu olho tem uma trave?

Antes de apontar o dedo para meu irmão tenho que refletir como São Francisco refletia: “que eu procure consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a vida eterna”

Como posso falar de verdade se não vivo realmente a verdade de Cristo?
Tenho o dever cristão de ser zelosa com meu irmão e através de atos verdadeiros retirar a trave do meu olho e com estes atos ajudar o irmão a se libertar da trave dele, com humildade sempre.
Não poderei guiar meu irmão se estiver com meus olhos tapados, travados pelo pecado, injustiça, falta de solidariedade e caridade, desamor...
Se eu não enxergar o outro como Jesus me enxerga, nunca poderei guiar ninguém iremos ambos para o buraco.
Tenho que ser fiel, como Jesus prega em seu Evangelho.
Vou então primeiro limpar meu coração, me livrar do pecado, para depois através dos meus atos guiar meu irmão.
Retirar a trave é ficar livre do pecado e viver como Jesus viveu.
Quando era criança, me contaram esta história que retirei da Wwb e vem bem a calhar com esta reflexão.
A Vizinha
Em uma cidade existia uma mulher que morava sozinha, e tinha como vizinhos um casal de idosos. Então esta mulher lavava as roupas, e as colocavam em seu varal e a senhora idosa, lá de dentro da casa dela, olhava as roupas no varal, e dizia ao marido dela: – Olha velho, como aquela vizinha é desmazelada… as roupas dela… ela lava e ficam todas sujas! E o velho sentado em sua cadeira de balanço, ficava quieto e não fazia comentários sobre aquilo ali. Então a vizinha tornou a lavar as roupas e coloca-las no varal, e a velha sentada na cadeira de dentro da casa dela, comentou novamente com o velho, olha velho aquela vizinha é muito porca, ela lava as roupas e ficam todas sujas, como que pode ser assim? E o velho sempre lendo seu jornal, preferia não comentar. Então, um dia, o velho indignado com sua esposa, levantou-se mais cedo. A velha nem perguntou o porque. Então a vizinha lavou todas as roupas brancas, e deixou-as limpas, como nunca, e a velha sentada em sua cadeira fazendo tricô, e o velho lendo o jornal. A velha comentou, olha velho, parece que a vizinha fez algum curso para aprender a lavar as roupas, ou então alguém lavou as roupas pra ela, as roupas estão branquinhas. O velho levantou-se colocou o jornal em sua cadeira e disse para a velha:
Não foi a vizinha que fez curso, e ninguém lavou as roupas dela, hoje quando levantei mais cedo, lavei as janelas daqui de casa.  (TEXTO DA WEB)
     
    Desejo a todos um feliz final de semana  e boa reflexão da Palavra de Jesus.
                  Paz e bem, Maria Teresa

http://dialogodoamore.blogspot.com.br/