quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Senhor fazei-me Digna do Banquete da Vida Eterna

Evangelho de Mateus 15, 29-37
Reflexão Pessoal

                                          "Numerosas multidões aproximaram-se dele, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos, e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou" (v30)

                                           
A multidão me cerca Senhor, tu me chamas para ser tua discípula... O que espero de mim mesma..
-Que eu mesmo coxa possa caminhar em busca de ti
-Que mesmo aleijada eu busque uma forma de ajudar
-Que mesmo cega eu nunca me permita não enxergar o óbvio
-Que mesmo muda eu te louve no silêncio
-Que eu não faça dos meus males desculpas para não te seguir... E são tantas as desculpas  Senhor .
Onde se esconde a dignidade?
Posso ocultá-la dos homens ... Nunca de ti Senhor.

"A Alegria do Pai  é ver seus filhos e filhas alimentados à sua mesa. A mesa farta da Eucaristia nos compromete com a mesa vazia de tantos irmãos e irmãs" (O Pão Nosso de Cada Dia).

"Tenho compaixão da multidão, porque faz três dias que está comigo, e nada tem para comer. Não quero mandá-los embora com fome, para que não desmaiem pelo caminho" (v.33).

-Dai-me um coração igual ao teu Senhor, que eu sempre procure partilhar o pão que alimenta o corpo e sacia a fome física daquele que bate à minha porta, mas que nunca esqueça de através da tua Palavra ensinar a reconhecer que existe  o Pão que  nos conduz à  vida eterna: A Eucaristia!

" Quantos pães tendes? Eles responderam: sete, e alguns peixinhos" (v.35)

Sim , eu sei, Senhor o quanto é difícil partilhar quando se tem pouco, mas a beleza do dar, do doar consiste em dividir o pouco que se tem  e não distribuir apenas o que sobra ... Essa é  verdadeira caridade.
                     
A postura de Jesus, nesse evangelho, de multiplicar os pães e os peixes e saciar a fome das multidões me mostrou que quando partilhamos o pouco se torna muito .

Quem sabe partilhar  ama a Deus e ao próximo, que não me falte coragem de olhar para o pouco que tenho e dividir com os excluídos :
-do amor
-da solidariedade
-da compaixão-da caridade
-da misericórdia.

Senhor Fazei-me Digna do Banquete da Vida Eterna.


Maria Claudete