sábado, 19 de março de 2016

Meu Apedrejar Cotidiano




Evangelho (Jo 10,31-42) 


'Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. 
Por qual delas me quereis apedrejar?'


Meu Deus, estando eu em profunda Ação de Graças por estes dias em que vivi uma experiência com o Senhor, visitando a Foz do Iguaçu em meio a matas e águas em abundância (por isso me sinto tão lavada na alma), o Evangelho me retorna ao apedrejamento... e a imagem impressionante que vi na Usina... de  imediato me remeteu ao fato...
Por que será?
Penso, medito e chego a seguinte conclusão:
Não sou deus!
Novidade?
Nenhuma!
Ninguém é deus ao meu lado...
Ninguém é ninguém...
Por isso me deixo apedrejar... apedrejo também...
Porque tento fazer deuses para mim...
Me apegando demasiadamente a tudo e todos... a tal ponto, se os perco, morro junto... morro em vida...
Sou consagrada para anunciar seu Amor ao mundo e nada mais... tudo que possa vir, será acréscimo divino...
Se agir assim, corretamente, não sentirei tanto o peso das pedradas que tenho recebido e me tem feito tão mal...
Como me apego a quem amo, meu Deus! Me perdoe por não saber amar... 
Cada vez que prendo pessoas (apedrejo) a mim ou me prendo a elas (sou apedrejada)... na verdade, estou prendendo o Senhor... rejeito a liberdade de filha muito amada de Deus (que todos somos)
Procedo assim e preciso recorrer ao Senhor para que me liberte do apedrejamento...
Muitas vezes, o Senhor não realiza sinal sensível prontamente, aí me perco e sinto a dor das pedras em mim... quando não faço aos demais sentirem a dor das lançadas por mim...
Que tristeza, Mestre!
Nesta Quaresma, sabia que não iria ser fácil... nunca é... mesmo com o Senhor junto a mim, apedrejei e fui apedrejada mais do que nunca... por isso senti tanta dor... literalmente falando também... foi um sinal concreto no meu próprio corpo para que eu experimentasse um pouco da dor que causo nos demais... e como dói, lamentavelmente...
Eis-me aqui, Senhor!
Perdoe-me para que possa ter condição de perdoar a quem me apedrejou também...
Preciso muito do Senhor... Eu creio no Senhor!


No passeio que fiz a Binacional de Itaipu, no final da rota, vimos umas pedras grudadas umas às outras em ladeira enorme e não rolam pela força magnética...


Se as pedras que atiro nos demais rolassem em cima de mim... coitada de mim!
Deus é a minha Força Magmática para o mal que faço não me enterrar viva!
Obrigada, senhor Deus!

P.S. Hoje, meu filho mais velho faz 42 anos, orem por ele, por caridade... Deus mesmo será a recompensa de todos...

http://www.idade-espiritual.com.br/