domingo, 5 de junho de 2016

«Não chores» disse-lhe Jesus»

Reflexão à Luz do Evangelho de Lucas 7, 11-17

O Senhor teve compaixão da mulher viúva que perdera o seu filho. Parou e aproximando-se dela consolou-a, dizendo-lhe: “não chores”.
O amor de Deus que se faz próximo em constante peregrinar no alívio do sofrimento do seu povo.
As palavras de Jesus são acompanhadas de gestos concretos. Toca e fala com autoridade. Ama incondicionalmente e restitui a vida.
Será que estou imbuída do amor misericordioso do Pai enxergando em cada semelhante que sofre o rosto de Jesus que por mim se deixou crucificar e ressuscitou para me libertar das trevas do pecado, concedendo-me uma vida nova em que a alegria e o amor ao próximo tomam parte?
Ou será que ando apressada e indiferente ao sofrimento alheio acatando preceitos que esqueço ao sair da igreja?
O Senhor convida-me a cada instante a segui-Lo e a amar os outros como Ele me amou.
Jesus me impele a ter para com os meus semelhantes, principalmente para com os que mais sofrem e estão mais fragilizados  pela doença, pela solidão, atitudes e gestos de alento e esperança.
Uma saudação, um abraço, um sorriso, podem fazer a diferença na vida de tantos irmãos e restaurar neles a alegria de viver.


Peço-te, Senhor,  que  me ilumines e guies para que o meu coração seja sensível ao sofrimento alheio tendo para com  os irmãos, principalmente os que sofrem, actos concretos de bondade e amor.