quinta-feira, 16 de junho de 2016

Superar a justiça dos hipócritas - Mt 6,1-6.16-18


Superar a justiça dos hipócritas
 Mt 6,1-6.16-18

Eu não posso praticar a justiça para ficar bem diante das pessoas, mas sim para fazer valer o que é certo diante de Deus.
De que adianta fazer caridade e sair contando para os quatro cantos da terra, além de humilhar aquele que recebeu esta ostentação não agradará a Deus.
Fazer a caridade sempre no silêncio é a religião que pratico.
A esmola tem que ser um gesto de partilha, sinal de compaixão, de justiça.
Eu não dou esmolas para me servir, mas para servir a Deus.
O que minha mão direita faz a esquerda não precisa saber, mas só Deus que está no alto do céu.

De que adianta eu levantar meus braços lá no alto e rezar quase gritando, para que todos vejam minha piedade e lá escondido em meu coração eu não pratico a verdadeira fé?
Por isso que gosto de rezar no silêncio de uma Igreja ou no silêncio do meu quarto, sinto que assim estou pertinho de Deus.
Sinto-me nos braços do Pai.

Se eu jejuar e ficar andando por aí com ares de tristeza, dor, esse jejum não trará benefício algum, o jejum para mim é um exercício para me libertar do egocentrismo que muitas vezes quer se aproximar de mim e o jejum me faz ficar forte para realizar as obras de Deus.

 O Evangelho de hoje é um grande exercício da Fé.

                     Paz e bem!
                    Maria Teresa

http://dialogodoamore.blogspot.com.br/