domingo, 6 de novembro de 2016

«Deus não é um Deus de mortos, mas de vivos»

 Reflexão à Luz do Evangelho de Lucas 20, 27-38

No mundo de hoje a maioria dos homens ainda pensa e julga como os saduceus e não acredita na Ressurreição. 
A Ressurreição é vista como se fosse uma ilusão para que os homens desistam de lutar pela construção de um mundo mais fraterno, mais equitativo, ao jeito de Jesus.


Como cristã a minha vida não deve resumir-se apenas aos valores do mundo durante os anos em que o habitar, sem horizontes e sem futuro, mas antes preparar a passagem para uma outra vida onde não deixando de ser eu própria, serei totalmente outra.
A Ressurreição é a esperança que dá sentido à minha caminhada e com Cristo Ressuscitado nasci para uma vida nova e plena.
Nesse sentido devo prosseguir com fé, serenidade e alegria, ciente dessa nova realidade que influencia desde já a minha vida terrena nas opções, valores que defendo e atitudes que devo tomar, de modo a que o novo céu e a nova terra, que me esperam, comecem a desenhar-se desde já.


«Deus não é um Deus de mortos, mas de vivos, porque para Ele todos estão vivos”…
«Cada ser humano que vem ao mundo é verdadeiramente um “pedaço de eternidade”. Cada ser humano será para sempre “ele” e não um outro. Cada ser humano viverá para sempre, enraizado no amor eterno de Deus. Pela sua Ressurreição, Jesus abriu-me o caminho da minha própria vida em plenitude com Deus». 

http://rotasdiferentes.blogspot.com.br/