sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

EIS-ME AQUI, SENHOR!



Meditação do evangelho segundo São Marcos  3, 13-19



Imagem da Net


Chamaste-me, Senhor, porque o quiseste, porque foi da tua vontade, do teu agrado.

Chamaste-me, mesmo sabendo que trago as mãos vazias.

Mas, chamaste-me, assim como a Simão, Tiago e João.

E eu subi ao monte, ao teu encontro, e como eles, te dei o meu sim.

Sei que tu me sondas o coração, que sabes o que nele carrego, conheces a minha dor e também a minha alegria, de ser o que sou.

E talvez me chames de filha do trovão, assim como chamaste ao Tiago e ao João. Porque sabes da minha impaciência, da minha intolerância, e do tanto que ainda preciso aprender.

Ah, Jesus, talvez me tenhas chamado porque também sou de pedra, assim como Simão, mas queres que no teu seguimento, eu me transforme numa rocha firme, para construção do teu reino. Capacita-me para isso, Senhor.

E quantas vezes eu me deixei levar por outras vozes. Vozes tão melodiosas, tão sedutoras, vozes de dentro, e de fora de mim. Vozes que me confundiram, que me machucaram, e que quase me levaram para longe de ti.

Tu és insistente, perseverante, tu não desistes, e graças a tua persistência, eu me deixei conduzir pela tua voz, assim como tantos daqueles que ao pé do monte aguçavam os ouvidos para alimentar o espírito faminto com a tua palavra libertadora.


Sim, Jesus, eu quero te seguir, porque só tu tens palavra de vida eterna. Só tu és caminho, verdade e vida. Eis-me aqui!